DNIT e Gestora Ambiental da BR-381/MG fazem monitoramento de insetos transmissores de doenças

20/08/2020 - O monitoramento e controle de insetos vetores de endemias é realizado por meio de campanhas a cada três meses, sendo executado nas frentes de obras e em sete locais distribuídos ao longo da BR-381/MG, no trecho entre Governador Valadares e Belo Horizonte. A equipe do consórcio Skill-MPB Engenharia (Gestora Ambiental) vai à campo para coletar e identificar os insetos, principalmente mosquitos, monitorando locais que possam se transformar em criadouros desses animais.

A campanha monitora os possíveis focos de mosquitos nas áreas por onde as obras de duplicação da BR-381 estão sendo realizadas, e ajuda monitorar a proliferação do aedes aegypti, mosquito transmissor de doenças como dengue, a febre amarela urbana, da zika e da chikungunya, para os trabalhadores e comunidades do entorno das obras.

De acordo com a Coordenadora do programa de Conservação da Fauna, Daiane de Sena Kafer, o acúmulo de resíduos e materiais nos alojamentos, frentes de obra e áreas de apoio podem ser ambientes propícios ao desenvolvimento e proliferação de insetos vetores de doenças. Assim, outros três programas socioambientais - como de Recuperação de Áreas Degradadas, de Recomposição Vegetal, Recuperação do Passivo Ambiental e o de Gerenciamento de Resíduos e Efluentes Líquidos, por exemplo – atuam de forma conjunta, orientando e supervisionando a construtora sobre a destinação correta dos resíduos das obras e outros cuidados ambientais necessários para evitar a proliferação de mosquitos transmissores dessas doenças.

Em 2020, Minas Gerais foi um dos estados brasileiros com o maior número de casos confirmados de dengue, com 471.165 casos e 117 mortes. Já em 2020, até 11 de agosto já haviam sido contados 81.619 casos suspeitos com confirmação de 53.089 pessoas contaminadas. Por isso, ações como o monitoramento dos mosquitos vetores em áreas próximas da BR-381/MG - em obras de duplicação - se torna uma ação importante e necessária, pois permite a identificação e combate de focos e criadouros dos principais vetores de doenças, além contribuir para diminuição do impacto da obra no ambiente e na saúde pública e a segurança sanitária das comunidades lindeiras.

O monitoramento de insetos que transmitem doenças é parte do Plano de Controle Ambiental (PCA) das obras de duplicação da BR-381/MG. Somado ao monitoramento, o Programa de Educação Ambiental realiza campanhas educativas em comunidades lindeiras, escolas e junto aos trabalhadores para alertar quanto aos cuidados necessários para evitar que as doenças, causadas principalmente por mosquitos, aumente.








© COPYRIGHT 2018 GESTÃO AMBIENTAL BR-381/MG