BR-381/MG: conheça o subprograma de Monitoramento dos Atropelamentos e Passagens de Fauna

01/10/2021 – Para manter a sustentabilidade socioambiental nas obras para duplicação da BR-381 em Minas Gerais, o DNIT executa uma série de programas e subprogramas para reduzir os impactos sobre a natureza e as pessoas atingidas pelo empreendimento. Entre essas ações está o subprograma de Monitoramento dos Atropelamentos e Passagens de Fauna

O objetivo geral do subprograma é propor medidas para reduzir os índices de atropelamentos da fauna e atenuar os efeitos danosos à biodiversidade da região, onde passam as obras de duplicação da rodovia federal. Todas as atividades são executadas pelo consórcio Skill-MPB Engenharia, Gestora Ambiental contratada pelo DNIT para atuar no empreendimento.

Entre os objetivos específicos está o monitoramento dos atropelamentos envolvendo exemplares da fauna silvestre, a identificação dos pontos de maior incidência de atropelamentos e indicar locais para instalação de equipamentos e medidas preventivas, identificar os principais locais de passagem de fauna e monitorar as passagens implantadas, avaliando-se sua efetividade, a análise da efetividade das medidas mitigadoras e sugerir, se necessário, outras para impactos detectados.

O monitoramento da fauna atropelada é realizado através de campanhas mensais em toda a extensão da BR-381/MG, entre Belo Horizonte e Governador Valadares (303 km), percorrendo o trajeto duas vezes, uma vez em cada sentido da rodovia, com veículo em baixa velocidade em busca de animais atropelados.

Todos os programas e subprogramas socioambientais desenvolvidos nas obras de duplicação da BR-381/MG são regidos pelo Plano de Controle Ambiental (PCA), que traça ações para reduzir ou eliminar os impactos das obras no meio ambiente, nas comunidades lindeiras e para os usuários em trânsito. Esse trabalho acontece em paralelo ao avanço das obras, em todos os lotes da duplicação.