Obras da BR-381 transformam resíduos construtivos em peças estruturais.


Nas obras de Implantação, Duplicação e Melhoramento da BR-381/MG, os resíduos provenientes das atividades, como corpos de prova de concreto estrutural rompidos, ganham nova vida por meio do reaproveitamento. Os corpos de prova são amostras coletadas para ensaios de resistência do concreto, moldados em formato cilíndrico, seguindo padrão e ordens específicas. Após a realização dos ensaios, correspondentes às diversas etapas de cura, os materiais retornam ao canteiro de obras para serem reutilizados em outras áreas.

O processo contribui significativamente para a redução de resíduos produzidos e descartados no meio ambiente. Também promove a redução de custos para a construção, já que não é necessária a produção ou compra de tijolos para execução de alvenaria.

Segundo Daniel Oliveira, Analista Ambiental do Consórcio BRASIL/MOTA/ENGESUR, responsável pelas obras no Lote 3.1, a ideia surgiu pois os corpos de prova são gerados em altas quantidades para monitorar o concreto. “Além de termos os corpos de prova à disposição, deixamos de adquirir material, e de destinar esses resíduos ao bota-fora”, completou. De acordo com ele, nas obras do Lote 3.1, são deixados de ser descartados cerca de 2 toneladas de resíduos por mês, número que tende a aumentar de acordo com o avanço da pavimentação em concreto.

Os materiais reaproveitados são aplicados em pequenas obras estruturais, como caixas de passagem, calçadas, meio fio e outras obras dentro e fora do canteiro.

#lote31 #dnit #br381 #meioambiente

© COPYRIGHT 2018 GESTÃO AMBIENTAL BR-381/MG